Por que o preço da gasolina oscila tanto?

*/?>
285

Se você é do tipo que precisa abastecer o seu veículo com frequência, com toda a certeza deve ter notado a oscilação nos preços do combustíveis. Nos últimos tempos, o aumento do preço da gasolina, por exemplo, tem deixado muitos motoristas de cabelo em pé na hora de abastecer o carro.

Só em 2018, o preço da gasolina sofreu uma alta de mais de 40% nas refinarias e 18% no preço ofertado nas bombas de combustíveis, fechando o ano em alta de 6% e entrando em 2019 com variação de preços de quase 124% entre os postos!

Esta oscilação tão grande perturba os motoristas mais atentos, que não entendem por que os combustíveis sofrem tantas variações de preço, principalmente entre um posto e outro.

Se você quer saber os motivos de você estar pagando mais para abastecer o seu veículo, continue lendo este artigo que temos muito pra te contar. Vamos lá?

O que, de fato, define o preço da gasolina?

A primeira coisa que precisamos entender são as políticas praticadas no mercado brasileiro em relação aos combustíveis. A Petrobrás, empresa estatal responsável pela extração do petróleo e pelas refinarias, tem forte influência no mercado, mas ela não é a única a fazer esse serviço. Além de existir refinarias privadas, a legislação brasileira permite que as distribuidoras comprem combustíveis importados de outros países e é aí que começam os problemas.

Cada distribuidora é livre para escolher o seu fornecedor e tudo isso influencia no preço final do combustível. Quer ver?

Vamos supor que a Petrobrás estabeleça o preço da gasolina em R$1 por litro para as distribuidoras que compram em uma das 13 refinarias estatais. As refinarias privadas estabelecidas no Brasil podem tentar acompanhar os preços, cobrando valores parecidos. Além disso, existem várias outras refinarias espalhadas pelo mundo que também podem ser cotadas como opção.

A distribuidora nacional A, fiel ao mercado interno, decidiu comprar o combustível por R$1. Ao chegar nos postos, mesmo tentando fazer o seu melhor preço, ele oferece para o consumidor final por R$4 o litro.

Já a distribuidora B resolveu aproveitar uma baixa no preço do dólar para importar combustível. Comprou uma quantidade maior de gasolina pelo mesmo valor que pagaria por aqui, já que encontrou o litro por R$0,60. Quando o combustível chegou aos postos da rede, o preço para o consumidor final ficou em R$3 por litro.

O resultado é uma diferença de R$1 no preço final entre esses dois postos de combustível. Os processos realizados na hora da compra do combustível pelas distribuidoras, o preço do dólar e até mesmo a disponibilidade do produto podem influenciar muito no preço e você sente tudo isso no bolso.

Existe algum outro fator que influencia no preço da gasolina?

Fotografia de foco seletivo de bico de gasolina

Para que a gasolina chegue no tanque do seu carro ela passa por inúmeros processos que podem influenciar no preço final de acordo com o grau de dificuldade de cada uma delas.

O processo de extração em si já é um fator relevante para uma alta de preço. Quanto mais difícil for a extração do combustível, mais caro ele ficará.

As refinarias das quais saem a gasolina pura e os outros produtos também influenciam nos preços. As estatais, como as gerenciadas pela Petrobrás, são as mais baratas, definindo assim os preços que serão praticados pela concorrência nacional.

As distribuidoras, que misturam os combustíveis ao etanol anidro, também possuem influência sobre o preço. Elas são livres para produzir suas misturas com mais ou menos gasolina na composição, desde que não ultrapassem os limites estabelecidos pelas leis nacionais. Quanto mais gasolina na mistura, mais caro será o combustível.

Tudo isso vai depender, ainda, do processo de compra e dos acordos firmados entre distribuidoras e refinarias. Caso o combustível seja importado, o preço do dólar e do frete para transportação vão influenciar ainda mais no valor final. Os postos com distribuidoras exclusivas tendem a ser mais caros que os postos com liberdade de negociação e daí vem a diferença de preço entre os postos bandeirados e os postos de bandeira branca.

O que está incluído no valor final da gasolina que pagamos na bomba?

Posto de gasolina

Além dos valores de produção do combustível, a carga tributária vigente no país também influencia muito nos preços finais. São quatro impostos diferentes cobrado pelo Estado que consomem cerca de 35% dos lucros.

O maior de todos os impostos é o Imposto por Circulação de Mercadorias e Serviços, também conhecido como ICMS. Ele é responsável pela cobrança de 27% do preço da gasolina. Isso significa que, se você abastecer o seu carro com 40 litros de gasolina, o posto pagará o valor de cerca de 10 litros para os cofres públicos.

Existem, também, as contribuições para o Financiamento da Seguridade Social, o Cofins, o Programa de Integração Social (PIS) e a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (CIDE) que, juntos, variam entre 9% e 11%, dependendo do estado.

Agora, você lembra dos 40 litros de gasolina que pagou para o frentista? Saiba que, para o posto, apenas 26 litros contarão para manutenção e lucro do estabelecimento e o valor dos 14 litros restantes ele pagará de impostos. Este ponto também explica o motivo da oscilação de preço da gasolina.

Agora que você já sabe os motivos para as oscilações de preço na gasolina, poderá ficar atento aos postos que praticam valores abusivos, principalmente nas estradas.

Quer saber quanto custa viajar de carro? Clique aqui e programe o seu orçamento!