Quanto tempo você gasta com distrações ao volante?

*/?>
175
Homem dirigindo: atenção na estrada é essencial, por isso é preciso evitar distrações ao volante

Dirigir é sempre uma questão de atenção, e por isso as distrações ao volante precisam ser discutidas. Dirigindo, fazemos muitas coisas que achamos inofensivas que, na verdade, podem representar sérios riscos.

Para mostrar as consequências de pequenas distrações ao volante, fizemos uma experiência: cronometramos tudo e fizemos alguns cálculos com nossos experts pra saber exatamente quanto tempo você leva respondendo aquela mensagem no Whats, dando um retoque na maquiagem, pegando uma latinha, etc.

Vem dar uma olhada!

Tempo gasto com as distrações ao volante: como calculamos?

Para começar a entender os riscos que as distrações ao volante podem causar, fizemos algumas simulações com relação ao tempo gasto com cada uma e calculamos quanto espaço você percorre com o carro nesse tempo sem prestar a devida atenção.

Para efeitos de cálculo, consideramos duas velocidades médias. A primeira, para a cidade, de 30 km por hora, um pouco abaixo do permitido na maioria das ruas e metade do que é permitido em avenidas. A segunda, para estrada, de 80 km por hora, a mesma que é adotada em trechos urbanos de rodovia.

Para fazer nossos cálculos de tempo consumido nas distrações ao volante, sentamos um dos nossos redatores em um carro parado, simulando as atividades, enquanto outro cronometrava tudo com um relógio de precisão.

Levamos em conta uma velocidade constante e os riscos físicos das distrações ao volante. Existem também outros, como o de tomar uma multa por excesso de velocidade ou ser autuado por um guarda de trânsito.

Celular no volante

A mais comum das distrações ao volante é sem sombra de dúvida o uso de celular. Apesar de diversas campanhas de conscientização, de vez em quando ainda damos aquela olhadinha no aparelho para ler uma mensagem ou ver se fomos respondidos.distrações ao volante: homem dirigindo em estrada

Em média, a leitura de uma mensagem demora 5 segundos, o que significa mais de 40 metros percorridos dentro da cidade e mais de 110 metros andados na estrada: isso é mais do que um quarteirão!

Para se ter uma ideia, o recomendado pelos especialistas de segurança no trânsito é que se mantenha 2 segundos de distância entre os veículos, metade do tempo gasto lendo a mensagem.

Quando se está escrevendo uma mensagem, a situação é ainda mais perigosa. São em média 20 segundos para mensagens curtas, o que é a mesma coisa que andar 160 metros na cidade e quase 450 metros na estrada, praticamente meio quilômetro de distração!

Usar o GPS

Outra atividade muito comum no carro é usar o GPS para tentar localizar o caminho. Apesar dessa ferramenta ser quase indispensável, ela deve ser usada corretamente para evitar distrações ao volante.

O ideal, por exemplo, é sempre ligar o dispositivo antes de começar a andar com o carro. Dessa forma, se evita ter que tirar o olho do caminho por, em média, até 18 segundos.

Nesse tempo, o carro percorre 400 metros na estrada e até 150 metros (um quarteirão e meio) na cidade. Imagine esse tempo distraído em um pedaço de rua com faixas de pedestre, um perigo!

E se você está com dificuldade para verificar o caminho, o tempo gasto pode ser maior do que um minuto. Na nossa simulação, procurar por um caminho difícil no GPS, mudando a rota original para tentar evitar a sugestão do aplicativo, demorou 95 segundos, ou seja, um minuto e meio.

Nesse tempo, na cidade, o carro anda 790 metros. Na estrada, dois quilômetros teriam sido percorridos.

É claro que para uma atividade dessa extensão o motorista em geral fica alterando a atenção entre a estrada e as distrações ao volante, mas será que o risco vale a pena?

Pequenas distrações ao volante

Também testamos uma série de pequenas distrações ao volante que demoram menos tempo, mas podem apresentar riscos.

Uma dessas distrações ao volante foi a clássica conferida na maquiagem. Consideramos uma média de um segundo e meio na nossa simulação, o que deu uma distância de 12 metros percorridos, mais do que a largura de uma rua padrão.

Outra dessas distrações ao volante é a ajeitada na gravata olhando no espelho, comum quando estamos indo a uma reunião de negócios. A nossa simulação chegou a uma média de 2 segundos, aumentando para 5 em caso de ter que mudar a posição do espelho e depois retorná-lo.

distrações ao volante: pessoa andando de carro em rodovia

O tempo para mexer só na gravata já é suficiente para andar 16 metros. É mais do que duas vagas de estacionamento e o suficiente para entrar com a frente do carro na traseira de quem está à frente! Com a mão no espelho, a distância aumenta para 41 metros.

Acender o cigarro enquanto dirige é uma das mais perigosas distrações ao volante. Isso porque entre tirar o cigarro do maço, colocar na boca e acender com o isqueiro, se leva até 12 segundos com apenas uma mão na direção. São 100 metros, um quarteirão, dirigindo sem foco total.

Algumas distrações ao volante levam apenas um segundo, o que é o suficiente para andar mais do que oito metros: mudar a música ou estação no rádio, olhar para quem está no banco de carona durante uma conversa ou pegar o celular que caiu do console. Para se ter uma ideia, a distância média entre dois carros andando na rua é de dez metros.

A gente sabe que a maioria dessas distrações ao volante acontecem diariamente, e que o motorista consegue ver quando é a melhor hora de tirar os olhos da estrada.

O problema é que acidentes podem acontecer por questões que não estão no seu controle, situações inesperadas que, para serem evitadas, precisam da sua atenção e foco total na estrada. Então evite ao máximo se distrair ao volante, hein?

Quer saber mais sobre os riscos das distrações ao volante? Então confira nosso texto sobre os perigos de se usar e falar ao celular enquanto dirige!